Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Cido diz que vai instalar CEI para obrigar shopping Taboão a construir alça de saída para Embu

Por Amanda Marques | 21/10/2015

cido

Cynthia Gonçalves

Com a ausência de alguns vereadores a Câmara de Taboão iniciou os trabalhos da sessão desta terça-feira, 20. Curiosamente a sessão foi encerrada de igual modo. Ao todo oito requerimentos da oposição foram votados e rejeitados. Houve a apreciação de votos de louvor e de pesar. A partir daí os vereadores discutiram temas variados e fizeram reivindicações ao governo como a construção de um campo no Mirna, implantação de base da GCM no Pirajuçara e a reforma e infraestrutura de um campo no parque Albina. Já na reta final o presidente da Câmara anunciou que vai instalar na próxima semana uma CEI com a finalidade exclusiva de cobrar que o Shopping Taboão construa alça de saída em direção a Embu das Artes.

O presidente da Casa, José Aparecido Alves, o Cido, informou que diante do não cumprimento dos prazos de construção da alça de saída do Shopping Taboão vai apresentar na próxima semana pedido de instalação de uma CEI. Cido demostrou indignação contra a postura do shopping e criticou o preço do estacionamento, que segundo ele, é absurdo. O vereador deliberou sobre os lucros exorbitantes que a empresa arrecada e deixou claro que o shopping não cumpriu com os prazos estipulados e mentiu para o poder legislativo. “O shopping enganou essa Casa, enganou o Parlamento. Um dos shoppings mais lucrativos de São Paulo, tanto é, que cada dia o shopping amplia”, desabafou. 

“Eu solicito aos vereadores, que não passe da semana que vem. Na semana que vem, esse vereador apresentará aqui  uma solicitação de abertura de Comissão Especial de Inquérito. Para que o shopping venha aqui, convocado. Estou cobrando aqui, nada mais do que é o direito do povo, uma alça sentido Curitiba custaria dez milhões? É o que o shopping ganha com Taboão da Serra”, frisou. 

De acordo com Cido, a CPI já possui cinco assinaturas necessárias para ser de fato instalada. O presidente disse que os vereadores Marcos Paulo, Érica Franquini, Joice Silva e Ronaldo Onishi se posicionaram a favor da decisão.

Eduardo Lopes e Luzia Aprígio voltaram a se estranhar na tribuna. A vereadora cobrou bronca do discurso feito por Lopes na semana passada quando ele citou o sobrinho dela numa fala em que chamou de vagabundo que vai pras sessões tumultuar a plateia durante as falas dos vereadores.  

“Na semana passada, quando fui ao toalete foi citado o nome do meu sobrinho aqui na tribuna. Um vereador falou que tinha umas pessoas exaltadas e xingou algumas pessoas de ‘vagabundo’, inclusive o meu sobrinho. Chamou ele de ‘vagabundo’ e que vai mandar prendê-lo. Só quero dizer que esse sobrinho, ele tem pai, ele tem mãe, ele tem família, ele trabalha, ele estuda, ele não é vagabundo! Então, aqueles que se sentiram ofendidos, que levaram o nome de ‘vagabundo’, vai até a delegacia, faça o boletim de ocorrência, como foi feito com o meu sobrinho. Nós vereadores devemos ver o que falamos, porque chamar uma pessoa de ‘vagabundo’ é muito sério”. 

Todos esperavam a resposta de Eduardo Lopes e ela veio. “Querida vereadora, em nenhum momento eu chamei o seu sobrinho de ‘vagabundo’. Eu não vou admitir, até porque mesmo estando na condição de parlamentar, a gente sabe que a política no Brasil está muita manchada, por conta de mensalões, esquemas de ‘lava jato’, a corrupção... Mas eu não vou aceitar ser incluído nesse bojo”. 

Lopes pediu que Luzia solicitasse as filmagens da sessão anterior, para ter a certeza de que realmente não ofendeu o garoto. “Não, eu não me referi ao seu sobrinho como ‘vagabundo’, eu me referi a pessoas desocupadas, a pessoas que não somam, não agregam em nada”, ressaltou o vereador. 

Luzia retrucou e sim, disse que vai olhar as filmagens. Em seguida ao som de muitas palmas, a vereadora afirmou que as pessoas que frequentam a sessão não são ‘vagabundos’. “Eu não trago ninguém para bater palmas, eu não preciso disso. As pessoas que vem aqui são interessadas no município. Não venho aqui ficar fazendo política. Se o senhor quiser trazer os familiares do senhor para me vaiar, fique a vontade! Eu também encho um ônibus e trago pra cá, não tem problema nenhum. Estou aqui porque tive voto, não faço o que os outros mandam, faço o que eu sinto de fazer. Não fico sendo ‘mandado’ pelos outros como o senhor”, encerrou Luzia.

Antes do embate com Luzia Aprígio o vereador Eduardo Lopes anunciou que será realizada no próximo dia 29, audiência da Comissão de Obras que tratará o tema da documentação da Cooperativa Habitacional Vida Nova, presidida pelo ex-vereador José Aprígio. Lopes informou que o Secretário de Obras, Rogério Balzano estará presente para contribuir com as discussões e trazer informações técnicas sobre a Cooperativa.  

“E torno a dizer: com muita responsabilidade, nós queremos reunir informações para concluirmos se é necessária a abertura ou não de uma CPI para investigar de forma mais a fundo, a respeito de todo esse processo que se deu em torno da Cooperativa Vida Nova”, explicou o vereador. 

Requerimentos rejeitados 

Nenhum dos requerimentos discutidos foi aprovado. Luiz Lune e Luzia Aprígio indicaram as propostas, mas não obtiveram a adesão da maioria. O vereador do PCdoB pediu vistas por dez dias sobre o documento 090/2014 que requeria o número de óbitos na UPA e da Maternidade Antena desde 2013 até a presente data. O pedido foi aceito e prorrogado. 

Os requerimentos de Lune solicitavam: a aparelhagem com condições de segurança e conforto dos veículos da frota da Prefeitura Municipal (bancos, cintos de segurança, manutenção adequada); informações sobre as linhas circulares 7 e 3 (itinerário, horários, quantidade de veículos que operam tais linhas); número de servidores públicos municipais efetivos portadores de necessidades especiais (nos moldes do determinado pela lei municipal 1066/94); a cópia dos contratos de sinalização viária de Taboão desde janeiro de 2013 até hoje e por fim, a cópia dos contratos de implantação de radares em Taboão. 

Já Luzia solicitou em seus requerimentos, informações sobre o Convênio firmado entre a Prefeitura e a Caixa Econômica Federal e providências do Executivo Municipal para o reestabelecimento de pontos de ônibus entre a Estrada São Francisco e a Avenida Laurita Ortega Mari. 

Por 9x3, durante a votação dos onze requerimentos, todos foram rejeitados. Favoráveis foram apenas: Luzia Aprígio, Luiz Lune e Waines Moreira, opositores do governo.

18/10/2017

Taboão teve sessão histórica para as mulheres e com aprovação de leis

O grito silencioso das mulheres vítimas de violência ecoou com força e fez da sessão desta...

17/10/2017

Reforma eleitoral abre espaço para propaganda paga em sites

A reforma eleitoral, aprovada no Congresso Nacional e sancionada recentemente pelo presidente...

15/10/2017

Ney Santos fará reforma no governo de Embu, João Ramos deixará prefeitura

O prefeito de Embu das Artes, Ney Santos (PRB) vai anunciar nos próximos dias uma reforma...

13/10/2017

Câmara Municipal aprova reajuste de abono para servidores

Os vereadores de Taboão da Serra aprovaram na última terça-feira, dia 10, por unanimidade, um...

11/10/2017

Convenção realizada no domingo elegeu novo diretório do PSDB de Itapecerica

O diretório municipal do PSDB de Itapecerica da Serra realizou, no último domingo (8 de...

11/10/2017

STF deve decidir hoje se Congresso pode rever medidas contra parlamentares

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir hoje (11) se parlamentares podem ser afastados do...

11/10/2017

Analice intercede por liberação de recursos para Embu das Artes

O prefeito de Embu das Artes, Ney Santos e a deputada estadual Analice Fernandes participaram de...

10/10/2017

Ney Santos lança Cartão Cidadão prometendo economia de recursos públicos

Anunciado como a maior ferramenta de gestão tecnológica de dados de toda a região, o Cartão...

10/10/2017

Parecer do relator de denúncia contra Temer deve ser lido nesta terça

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.