Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Ato contra reorganização das escolas estaduais aconteceu em Embu das Artes

Por Direto da Redação do Jornal na Net | 11/10/2015

escola_3

Adriana MonteiroCartazes traziam críticas a proposta de reorganização nas escolas estaduais 

Com gritos ensaiados os alunos e professores da rede estadual de ensino foram para as ruas na tarde da sexta-feira, dia 09, e caminharam pelas ruas de Embu das Artes para atrair a atenção da população para as decisões e propostas do Governo do Estado de São Paulo, que prevê a reorganização das escolas estaduais, ou seja, garantir que os alunos sejam separados por faixa etária, no entanto muitas escolas correm o risco de serem fechadas e outras passam a ser de responsabilidade do município. De acordo com a organização, cerca de 500 pessoas participaram do ato.  

Contra essa medida, professores juntamente com alunos e até mesmo pais foram as ruas. O ato teve inicio às 14h de frente com a Escola Estadual Elizete Bertini no Jardim Santo Eduardo e terminou por volta das 16h30 na EE João Martins, no Jardim Júlia. Os alunos carregavam cartazes escritos "Não fechem a minha escola" e em outros críticas ao governo do Estado. Músicas ensaiadas eram cantadas para contagiar os moradores que passavam nas ruas e outros que saíram do lado de fora de suas casas para acompanhar o ato público.  

"Eu apoio essa molecada que está em busca de melhorias para a nossa educação. Não tenho filhos em idade escolar mas tenho certeza que essa luta será fundamental para o futuro. Essa luta não pode ser em vão, vejo muitos jovens empolgados e não para fazer baderna mas para lutar pela sua escola. Fico orgulhoso de morar em um lugar com tantos alunos dedicados por uma causa", falou José Raimundo, que acompanhava o ato.  

A manifestação foi pacifica sem registro de ocorrências e contou com o apoio da Guarda Civil Metropolitana juntamente das equipes da Policia Militar em viaturas e também motocicletas. A Divitran também acompanhou para assegurar o bom andamento do transito e em alguns pontos a orientação para desvio.  

"Eu estou aqui porque não quero mudar de escola, não quero ter que estudar em outro lugar só porque o governo acha que é certo", disse Gustavo, estudante da escola Irmã Iria Kunz, no Jardim Santa Emília.  

Estiveram presentes os líderes dos atos, o ex-vereador Professor Toninho, do Psol, o ex-prefeito Nivaldo Orlandi e teve a participação do vereador petista, João Leite.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.