Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Variedades

O B-boy que muda a cena do Jd. Leme e insere jovens à cultura hip hop

Por Amanda Marques | 16/09/2015

hip

Divulgação Embora as dificuldades financeiras existam, a iniciativa segue, mas precisa de apoio

Observando outros jovens dançarinos na Praça Luiz Gonzaga, Adriano Ferreira dos Santos de 29 anos, morador do bairro do Jardim Leme, se apaixonou pela arte da dança e faz parte da cultura hip hop há 15 anos. Em função do sucesso feito por ele, Adriano viajou para a cidade norte-americana de Houston no Texas, para participar de um evento chamado Breack Free, existente dede 2011. O dançarino comentou que recebeu a oportunidade de representar Taboão e que durante esse evento, ele foi convidado para dançar em outro festival, o YA Battles, conseguindo o 2° lugar. Feito de muito orgulho para a nossa região, que motiva inúmeros jovens a seguir o mesmo caminho. 

O breakdance, também conhecido como b-boying é um estilo de dança de rua que parte da cultura hip hop, ela foi criada segundo Adriano, por afro-americanos e latinos na década de 70, em Nova Iorque. Atualmente, o breakdance é utilizado como meio de recreação e competição no mundo, Adriano também trabalha com o estilo em seu projeto a fim de integrar socialmente crianças e jovens. 

Em Taboão da Serra, Adriano conta que participou de muitos saraus, de jure em diversos eventos e ressaltou o ‘Batalha da Rua’, realizado por um amigo que segundo ele, dá aulas em oficinas. Participou também de apresentações em escolas e desfiles. Hoje, o dançarino conta que possui um espaço físico voltado para crianças interessadas em aprender dança chamado ‘DaVila’, localizado no Jardim Leme. 

Depois de receber outro convite para voltar aos Estados Unidos, Adriano explica que precisa do apoio de patrocinadores, em função da dificuldade que a alta do dólar trouxe nesse momento. Ele diz que esse apoio contribuirá para que o nome da cidade seja levado e reconhecido fora do país. “A cidade de Taboão da Serra tem muitos artistas, que fazem a mesma coisa que eu faço, porque quando eu viajei e voltei, eu vi que deu uma incentivada no pessoal”, afirma. 

Adriano ressalta que sempre foi morador da periferia e sua vida fora muito difícil, a dança de acordo com ele, o livrou de coisas muito ruins. A questão da divulgação e da visibilidade, levantada pelo b-boying, é de extrema relevância, pois assume a possibilidade de afastar jovens e crianças do mundo das drogas e da violência. Quando Adriano dança nas ruas próximas à sua casa, ele percebe que as crianças se interessam pela arte. “Às vezes é falta de alguma coisa para fazer, a gente precisa que a cultura apareça mais na vida deles”, completou.

A história de uma inciativa chamada ‘DaVila’ 

O DaVila funciona com um ponto fixo, localizado no Jardim Leme e Adriano afirma que todos os custos são mantidos sem patrocínio ou apoio financeiro. O sonho começou composto por três culturas: o Graffiti, o Breaking e o Lowrider, esses grupos são divididos e cada um tem sua responsabilidade dentro do espaço. Os grafiteiros são responsáveis pela parte visual do DaVila e os eventos de Graffiti, Adriano lembra que o último recebeu mais de 150 artistas. O grupo de Breaking é coordenado pelo próprio Adriano, que articula as coreografias e apresentações de dança de rua nos eventos. A parte Lowrider organiza os encontros veiculados à cultura complementar de carros antigos com suspensão hidráulica. 

Adriano, idealizador do projeto, comenta que o primeiro grupo de breaking surgiu em 1997 e ao longo do tempo alguns integrantes foram se interessando por outras culturas, justamente pelo graffiti e lowrider. Em 2008, o b-boy efetivamente tirou a ideia do papel e criou o DaVila, para que os eventos pudessem acontecer e mostrar as três culturas juntas, ao mesmo tempo.

Ele ressalta que esse movimento de integração de diferentes culturas hip hop, até então, não havia sido realizado em nosso país, em função das pessoas não conhecerem a fundo os estilos. “Realizávamos pequenos encontros quando íamos grafitar em algum muro no bairro, logo surgiu a necessidade de organizar algo maior, melhor projetado, para acolher o público, que a cada evento aumenta”, afirma Adriano. 

O hip hop e o breaking significam muito para o b-boy, ele explica que essa cultura o ensinou a não ir a um caminho errado e mais do que isso, a transmitir o bem para as pessoas. Ele afirma que a dança se tornou um estilo de vida e o brilho nos olhos das crianças, durante a realização de eventos na comunidade é incrível. Adriano reforça em suas palavras o que já sabemos, que a cidade precisa disso, enfático ele afirma: “Eu sei que podemos salvá-las, mostrar a elas que nas favelas podem ter coisas boas, diferentes do que elas veem hoje”. 

O b-boy diz que a contribuição que ele faz com seu projeto é a maior vitória, embora precise imensamente de apoio, de lugares para passar a diante o estilo, pontos culturais onde crianças e jovens possam praticar tudo o que aprenderam. Adriano conta que diante da oportunidade de se apresentar fora do país, ele trouxe na bagagem muitas informações e novas ideias agregadoras para a iniciativa e para a comunidade. “Para mim, tudo isso é muito importante, estar passando o meu conhecimento para os jovens, onde sempre tem esperança de conhecer uma cultura que fará a diferença em suas vidas”, encerra.

Quer participar das aulas? Ou ajudar nos patrocínios? Ligue:

Espaço DaVila
Avenida Augusto Barbosa Tavares, 818 sub solo
Jardim Maria Sampaio, CEP: 06773-080
Telefone: (11) 4685-0673

20/10/2017

Nota Fiscal Paulista: Fazenda libera R$ 687,7 milhões em créditos

A Secretaria da Fazenda liberou R$ 687,7 milhões em créditos da Nota Fiscal Paulista para os...

20/10/2017

Câmara aprova voto de repúdio por criança interagir com homem nu em performance

Os vereadores de Taboão da Serra aprovaram na semana passada, dia 3, na Câmara Municipal, um...

19/10/2017

Emprega São Paulo/Mais Emprego tem 4.831 vagas abertas no Estado

O portal Emprega São Paulo/Mais Emprego oferece 4.831 oportunidades nesta semana no...

19/10/2017

Novos talentos de Embu das Artes e região cantam com grandes artistas no Embu Su

18/10/2017

MPF e MPT recomendam revogação de portaria que muda regras do trabalho escravo

O Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Ministério Público Federal (MPF) recomendaram ao...

17/10/2017

Seminário sobre desenvolvimento sustentável visa construir propostas no Conisud

Idealizado pelo mandato do deputado estadual Geraldo Cruz, da vereadora Rosângela Santos e com...

17/10/2017

Comunidade Filosofia de Quintal comemora 3 anos no próximo dia 22

Em comemoração ao seu 3 anos, a Comunidade Filosofia de Quintal irá comemorar no próximo dia...

13/10/2017

Joice Silva participou da missa do aniversário de padroeira de Taboão

A presidente da Câmara Municipal de Taboão da Serra, vereadora Joice Silva, participou da missa...

11/10/2017

Daiso Japan inaugura primeira loja em Taboão da Serra no próximo dia 14

No próximo dia 14 de outubro, a Daiso Japan, maior rede de variedades japonesas no Brasil,...

11/10/2017

GCM Neves vai representar Itapecerica em Congresso Nacional de Guardas no Paraná

GCM Neves ROMU, de Itapecerica da Serra foi convocado para participar na mesa de palestrantes do...

21/10/2017

Eduardo Nóbrega diz que ETEC será “divisor de águas” em Taboão

A expectativa com a inauguração da Escola Técnica (ETEC), ao lado da prefeitura vem aumentando a...

21/10/2017

Comissão de Segurança Pública debate uso de câmeras de vigilância em Taboão

A Comissão de Segurança Pública da Câmara Municipal de Taboão da Serra realizou na última...

20/10/2017

Brasil é vice-campeão em mundial de profissões técnicas com 7 medalhas de ouro

Quando o assunto é desempenho de profissões técnicas, é o Brasil quem ganha de diversos países...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.