Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Calçada da Delegacia Seccional de Taboão é exemplo da falta de acessibilidade

Por Sandra Pereira | 13/08/2015

calcada

Sandra PereiraCalçada da rua da Seccional é intransitável para pedestres

Todo pedestre sabe que andar pela calçada é mais seguro. Evita sustos, acidentes e atropelamentos. Mas, na prática andar pelas calçadas é um desafio e tanto para quem se propõe a esse fim. Buracos, postes, mato, entulho raízes de árvores, piso irregular e falta de padronização das calçadas torna quase impossível a missão de andar por elas nas ruas de Taboão da Serra, Embu e Itapecerica. Em Taboão o problema mais comum são as raízes das árvores que cresceram na superfície destruindo o calçamento. Cuidar das calçadas é responsabilidade dos proprietários das casas, terrenos ou empresas, mas a fiscalização deve ser feita pelas prefeituras municipais.  

A Rua Albert Einstein, localizada no Jardim Salete, onde funciona a Delegacia Seccional que atende aos municípios de Taboão da Serra, Embu das Artes, Itapecerica, Juquitiba, São Lourenço e Embu-Guaçu é um bom exemplo de locais onde a calçada de pedestre é literalmente intransitável. Assista aqui.

Na sede da Seccional fica localizada a Delegacia do Idoso criada para atender crimes contra idosos em toda a região. Se algum deles desejar andar na calçada da rua terá o desejo impedido pelos buracos, raízes de árvores e mato que cresce no local. A falta de acessibilidade é total e visível. Até mesmo uma pessoa com as mais perfeitas condições de saúde vai ter dificuldade de andar no local, ou melhor não vai conseguir.

O ponto mais crítico da calçada fica em frente a uma empresa localizada ao lado da delegacia. Por lá só mesmo alguém com capacidade de dar verdadeiros saltos mortais consegue andar na calçada. “Por causa disso todo mundo que passa pelo local acaba tendo que andar pelo meio da rua. Isso é perigoso. Tem horas que as viaturas saem em disparada quando tem ocorrência e a pessoa tem que ficar atenta para não ser atropelada”, relata José Euclides, que todos os dias passa no local. 

Normalmente quem anda de carro não costuma pensar na importância das calçadas para os pedestres. Se andar pelas calçadas sozinho já é difícil o desafio se torna ainda maior se a pessoa for cadeirante, estiver levando um carrinho de bebê ou sacolas de compras, por exemplo. As calçadas irregulares tornam atividades rotineiras como levar os filhos à escola um transtorno. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.