Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Taboão comemora 9 anos da lei Maria da Penha

Por Amanda Marques | 9/08/2015

lei

DivulgaçãoO evento trouxe palestras, teatro, sarau e muita informação sobre violência doméstica contra a mulher

Na última sexta-feira (07), Taboão da Serra comemorou os 9 anos da lei Maria da Penha, com uma manhã repleta de informações, palestras, danças, saraus e teatro. Estiveram presentes o vice prefeito Laércio Lopes, as vereadoras Érica Franquini e Joyce Silva, a Secretária de Assistência Social Arlete Silva e a Secretária de Desenvolvimento Econômico Laura Favero. 

Os pronunciamentos ficaram por conta do vereador tucano Eduardo Tuma, o Presidente da Câmara Municipal Cido da Yafarma, a Dra. Raquel Zaicaner Secretária de Saúde, a Promotora de Justiça do Ministério Público Maria Gabriela Mansur, além da Coordenadora dos Direitos da Mulher de Taboão da Serra, Sueli Amoedo. 

O evento aconteceu no Cemur, localizado na praça Nicola Vivilechio, com duração de 4 horas, iniciadas às 08h00 da manhã. A comemoração foi abordada com a sensação de que o trabalho desenvolvido na cidade está sendo altamente positivo, em função do apoio das Secretarias e sem sombra de dúvida, pela seriedade com que é realizado.

A Coordenadora Sueli Amoedo, sabiamente lembrou das dificuldades encontradas pelo país durante a definição da lei, quando o ex-presidente Lula teve de ceder a pressões internacionais da ONU, para enfim sancioná-la. 

Ressaltou que é mais do que necessário falar sobre a violência doméstica e o quanto é importante incentivar a denúncia, bem como a questão do enfrentamento que deve haver nessas situações.

O Vereador e Presidente da Câmara, Cido da Yafarma, refletiu sobre a ideia da rede de proteção a mulher, que deve ser praticada com eficiência, para que nenhuma outra vítima sofra com agressões. Cido foi pertinente fazendo observações relacionadas a independência financeira que as mulheres devem atingir, afim de deixarem de ser submissas, o que na maioria das vezes, é a realidade de uma situação de agressão não só física, mas emocional. 

A Secretária de Saúde Raquel Zaicaner, realçou que há políticas públicas feitas para desenvolver o papel da mulher no município e em toda a sociedade, ressaltando que os índices de violência no ano de 2015 são estarrecedores, não só contra as mulheres, mas em todas as esferas. 

Raquel direcionou seu discurso para o âmbito do trauma que as vítimas desencadeiam, principalmente quando sofrem violência doméstica, afirmando que a residência, na teoria, deve ser um local que inspire segurança e proteção. “É árduo, violência doméstica não escolhe idade, cor, raça, formação intelectual, formação cultural, classe social”, declara.

O fato é que, segundo Raquel Zaicaner, a lei Maria da Penha tirou a mordaça para dizer que o problema existe, que deve-se romper o silêncio, e além disso, que o poder municipal trabalha de maneira brilhante, com uma coordenadoria de amparo junto ao Centro de Referência a Saúde da Mulher. 

Em entrevista, Raquel afirmou que a Secretaria de Desenvolvimento está disponibilizando cursos profissionalizantes, com o intuito de orientar as mulheres a conseguirem independência financeira e, por suas próprias palavras, “dar vôos de liberdade”.

A Promotora de Justiça do Ministério Público, Gabriela Mansur, declarou que a lei Maria da Penha vem para mudar uma realidade social, que ela deu coragem e apoio para as mulheres superarem a violência doméstica. 

Gabriela afirmou que no início do combate contra a violência em Taboão da Serra, os processos não passavam de 30, hoje, são 6 mil em curso, recebendo de 90 a 100 denúncias por mês, com 150 medidas protetivas concedidas.

Os dois lados da moeda

Quando ouvimos relatos de casos de violência doméstica, é normal haver estereótipos de que mulheres que não denunciam, não devem ser ajudadas. A Promotora Gabriela Mansur, em seu discurso, desmitificou de maneira convincente que as coisas não são exatamente assim.

O primeiro lado e mais seguro é: sofrer a agressão e imediatamente denunciar, falar sobre o assunto e garantir uma medida protetiva. 

O segundo lado e o menos compreendido é: sofrer a agressão, se calar, sentir-se envergonhada e não ter coragem de fazer a denúncia, o que irá resultar em violência consecutiva.

A Promotora Gabriela, no auge de sua experiência, afirmou que em muitos casos, as mulheres não vão à delegacia prestar depoimento, os motivos são muitos: por medo, por que as vezes, amam o companheiro ou são iludidas com presentes e pedidos de desculpa. 

A Justiça segundo ela, deve também estar ao lado dessa vítima, que em um primeiro momento sente dificuldades emocionais em denunciar o parceiro. A Promotora acredita na mudança do comportamento de homens que praticam essas ações, e diz que deve haver um estímulo de sensibilização por parte deles, em respeitar as esposas.

A importância de se discutir violência doméstica 

Sueli Amoedo, Coordenadora dos Direitos da Mulher em Taboão, acredita que eventos como o que ocorreu na última sexta-feira, tem o objetivo de mobilizar e conscientizar sobre a violência, e que a lei sobretudo, deve ser aplicada e divulgada, em especial ao setor judiciário. 

De acordo com Sueli, a lei 11.340 de 07 de agosto de 2006, intitulada Maria da Penha, é a 3° melhor lei do mundo, e que funciona a partir das medidas protetivas, impedimento de aproximação, afastamento do lar e prisão por descumprimento, caso houver, respectivamente. 

Amoedo em entrevista, conta que durante a execução das palestras, uma mulher que sofria com violência doméstica a procurou, pois se encontrou como uma personagem nos discursos, “Em um evento, quando se consegue agregar uma pessoa que sofre com a violência, é de sua importância”, afirma.   

Felipe Martins

Infelizmente vivemos num pais onde isso acontece com grande frequência, a Lei Maria da Penha vem funcionando e intimidando esses agressores. Bela reportagem.

27/07/2017

Prefeitura de Embu implanta taxa do lixo para moradores da cidade

Com o argumento de que a arrecadação do IPTU é baixa e não é suficiente para garantir serviços...

27/07/2017

Câmara de Embu lança nota negando ligação com criação da Taxa do Lixo

Após a  repercussão negativa provocada pela criação da Taxa do Lixo, anunciada pela prefeitura...

23/07/2017

Agência do BB de Taboão é acusada de manter funcionários em condições insalubres

O Sindicato interrompeu as atividades em uma agência do Banco do Brasil no centro de Taboão da...

23/07/2017

Empresário de Taboão está desaparecido e família pede ajuda para encontrá-lo

O empresário e morador de Taboão da Serra conhecido como Fábio Mario Martins, da Fator Veículos,...

07/07/2017

Fernando e Analice Fernandes inauguram Arena Multiuso com festa

A obra que teve a participação da deputada estadual Analice Fernandes, acaba de ser inaugurada,...

04/07/2017

Manifestantes fazem ato em Taboão contra reintegração de posse em área no Laguna

Um pequeno grupo de moradores de uma área invadida no parque Laguna no limite entre Taboão da...

02/07/2017

Cratera na rua Mário Latorre continua aberta em Taboão da Serra

Há uma semana uma verdadeira cratera está aberta na rua Mário Latorre, no Parque Pinheiros, em...

01/07/2017

Abertura do Quentão de Taboão reuniu autoridades e amplo público

A abertura do Quentão do Taboão nesta sexta-feira, 30, marcou a inauguração da Arena Multiuso de...

27/06/2017

Quentão do Taboão começa na sexta e promete agitar finais de semana

A esperada Arena Multiuso de Taboão da Serra vai ser aberta ao público nesta sexta-feira, 30,...

26/06/2017

Jovem PM feminina inspira e incentiva sonhos de estudantes em Taboão

Com sorriso aberto, simplicidade, carisma, olhos e rosto bem maquiados a policial militar Sara...

27/07/2017

Bairros de Embu das Artes recebem oficinas de horta

O bairro Santa Tereza, situado no extremo leste de Embu das Artes, município da Grande São...

27/07/2017

Sub-16 de Itapecerica conquista o terceiro lugar na 1ª Copa da Paz de Avaré

A seleção Sub-16 da escolinha de futebol da Prefeitura de Itapecerica da Serra conquistou o...

27/07/2017

Prefeitura de Embu implanta taxa do lixo para moradores da cidade

Com o argumento de que a arrecadação do IPTU é baixa e não é suficiente para garantir serviços...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.