Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Educação

Remuneração e diminuição da carga horária foram os assuntos abordados na Audiência Pública em Taboão

Por | 20/08/2010

011 350_1.jpg

Audiência Pública sobre educação foi realizada no Taboão

Em clima acalorado os professores da educação infantil de Taboão da Serra (ADEI) reivindicam há mais de 15 anos uma melhor remuneração e a diminuição de carga horária para a categoria e esse foi o principal assunto abordado na audiência pública realizada sobre educação, nesta sexta-feira, 20 na Câmara Municipal da cidade.

“Nos trabalhamos 40 horas e ganhamos R$ 600,15 e desenvolvemos todo o papel dos professores, porque a prefeitura exige a mesma formação dos professores, queremos ser incluídas no Estatuto do Magistério”, afirmou a educadora Silvana Maria Santos.

Ela explicou que a única cidade que obriga as ADEI a trabalhar oito horas é Taboão da Serra. “As cidades de São Paulo, Osasco, Garulhos, Barueri e Embu já adotaram o sistema de que todas as professoras do ensino infantil trabalham no período de seis horas, por que aqui não pode ser igual?”, questiona.

O Secretario de Educação José Marcos explicou aos professores que será realizada uma reunião com o prefeito na segunda-feira e que é a partir dessa reunião que todos os educadores obterão todos os seus direitos. “Não é uma promessa, todos serão incluídos no magistério e terão a redução do salário. Como educador de tantos anos, vocês são indispensáveis da educação em Taboão como de uma forma geral”, garantiu o secretário.

Questionado por uma educadora sobre a distribuição do Fundep, o secretário foi categórico a afirma que não gostaria de fazer a distribuição. “Prefiro que não tenha resíduo, só o salário, mas as ADEI não estão incluídas no recebimento, pois ele é feito por lei federal”, explicou.

O vereador e presidente da comissão de educação Cido, afirmou que é muito importante a valorização dos educadores.

Wagner Eckstein também vereador da cidade ressaltou que Taboão tem grandes injustiças seja pela carga horária e reajuste salarial. “Entendo que está é a mesma proposta dos amarelinhos, só para dar um exemplo, a área da saúde recebeu cerca de 400 funcionários, agora só conta com 9, precisamos fazer arranjo em todos os setores para remuneração e diminuição da carga horária”, defendeu.

Após as reivindicações, o secretário de Educação José Marcos apresentou aos educadores como está a educação na cidade e afirmou que é necessário oferecer ensino de qualidade aos alunos. “Estamos crescendo juntamente com o Estado, por este motivo a educação é priorizada, para garantir futuro aos jovens”, comentou.

O próximo encontro entre educadores, prefeitura e vereadores acontece na segunda-feira, 23 de agosto, às 19h na escola Ugo Arduine.

Também participaram da audiência pública, vereadores: Macário, Arnaldinho, Olívio, Carlos Andrade e Alexandre Depieri, além do secretário adjunto da educação Oderlan.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.