Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Transporte e Trânsito

Prefeitura de Taboão não vai renovar contrato com a viação Pirajuçara

Por Sandra Pereira | 28/01/2015

piraju

Sandra Pereira Se quiser permanecer atuando em Taboão Pirajuçara terá que participar da licitação e se adequar às exigências que serão feitas 

No mês de abril acaba o contrato da viação Pirajuçara com a prefeitura de Taboão da Serra para a exploração do transporte público municipal. Já é certo que a prefeitura não pretende renovar o contrato com a empresa automaticamente. A Pirajuraça tem contrato de 15 anos com possibilidade de renovação por mais cinco, mas não haverá renovação. Agora, uma nova licitação para o transporte municipal será feita com base em estudos que estão sendo realizados pela equipe técnica da prefeitura.

A ideia inicial será propor um novo modelo de transporte baseado em mais tecnologia, com a implantação da bilhetagem eletrônica, reestudo tarifário e até o reordenamento das linhas circulares. A meta é atender as demandas recentes da população e melhorar a qualidade do transporte municipal muitas vezes alvo de críticas.

A proposta é  abrangente e pretende mudar  a cara do transporte público municipal em Taboão da Serra, segundo o secretário Municipal de Transportes Rinaldo Tacola. Ele avisa que a viação Pirajuçara não terá seu contrato renovado automaticamente e diz que a empresa terá de participar da licitação, como qualquer outra, se desejar permanecer atuando na cidade.

“Vamos fazer uma nova licitação. A partir daí teremos um novo modelo de transporte e tarifário. Ainda não é possível detalhar como isso vai acontecer uma vez que os estudos foram iniciados mas não temos nada concluído”, afirma Rinaldo Tacola.

Ele lembra que a prefeitura negou novo pedido de reajuste de tarifa da Pirajuçara após análise das planilhas de custo da empresa. Informa que um dos desafios propostos a equipe técnica é  avaliar se a gratuidade do Bilhete Único municipal será de duas ou três horas e explica que esse é um dos pontos chaves do reordenamento já que na prática acarreta na redução do número de passageiros pagantes.

“Vamos definir o período da gratuidade. Estudar o impacto. Faremos uma mudança grande de tecnologia. Poderá haver remanejamento de linhas e integração. Estamos fazendo levantamento de custo pois todos esses fatores alteram a questão tarifária”, observou.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.