Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Crise hídrica obriga famílias a mudarem hábitos para economizar água

Por Sandra Pereira | 27/01/2015

louca

Divulgação - GoogleFalta impõe mudanças de hábito na vida das pessoas até mesmo na hora de lavar a louça 

A crise hídrica sem precedentes está obrigando muitas famílias a mudarem seus hábitos para economizar água. Com medo de ver as torneiras secarem de uma só vez as pessoas começam a adotar ações simples, que certamente não vão resolver o problema, mas a longo prazo podem ajudar a conscientizar que os recursos naturais são finitos e a água em especial. Entretanto, o desperdício ainda é uma realidade constante. Moradores da região estão habituados a flagrar casos de desperdício da escassa água potável em atividades como limpeza de calçadas e lavagem de carros. Com a falta de água acontece praticamente todos os dias o medo provocado pela crise hídrica é crescente.

Na casa da autônoma Cristiane dos Santos os banhos ficaram mais curtos. As crianças foram ensinadas a escovar os dentes com a torneira fechada. As meninas lavam os cabelos com menos frequência. A família junta mais roupa antes de lavar e na hora do amaciante a água usada é recolhida para lavar varandas.

“A gente vive em vigilância permanente. Esse é um problema muito grave. Não há como viver ser água por isso é preciso agir. Todo mundo tem que se conscientizar e fazer a sua parte”, ensina a Cristiane que mora em Taboão da Serra, no Jardim Monte Alegre, afirmando que aproveitou a onda de economia para ensinar os filhos também gastar menos energia elétrica.

A dona de casa Sueli Alves Santana também está mudando seus hábitos na utilização da água. Ela lava roupa em baldes e reaproveita a água com sabão nos banheiros. Ela enxágua as roupas e põe na máquina para centrifugar e reutiliza a água para lavar quintal e outras áreas comuns da casa.  A família de Sueli tem 8 pessoas e todas reduziram o tempo no banho.  O filho dela de 6 anos é quem mais dá trabalho mas está se acostumando com a nova norma.

Os críticos do problema acusam o governo e a Sabesp de não terem feito suas lições de casa para impedir que a situação chegasse ao extremo que vive atualmente. Todos os dias as notícias sobre a redução de água nos reservatórios deixa todos com a sensação de que tudo ainda pode piorar. A diminuição na quantidade de chuva preocupa quem se detém a pensar no problema e deixa os especialistas no tema cada vez mais conscientes de que São Paulo vive uma crise sem precedentes na questão do abastecimento.

“Todo mundo tem que se unir pra economizar. O governo errou de não se prevenir para algo assim. As pessoas também erraram ao desperdiçar. A Sabesp erra quando não impede os vazamentos. Mas agora não adianta procurar culpados. As pessoas têm que tentar fazer a sua parte”, finaliza Cristiane Santos. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.