Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

TSE absolve prefeito e vice de Juquitiba em processo de abuso de poder econômico

Por Sandra Pereira | 20/01/2015

juquitiba_prefeito

Sandra PereiraFrancisco Júnior diz que oposição tentou vencer a eleição no tapetão

Depois de amargar quase dois anos de insegurança por conta do processo eleitoral que sofria sob a acusação de ter praticado abuso de poder econômico na eleição de 2012 o prefeito de Juquitiba, Francisco Júnior, finalmente respira aliviado. No apagar das luzes de 2014 o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) absolveu o prefeito e o vice no processo. Apesar da decisão ter vindo na metade do mandato de ambos trouxe alívio geral para o prefeito e sua equipe que trabalhava sob pressão inegável. Agora a meta dele é trabalhar e fortalecer o caminho para a reeleição.

“Graças a Deus tiramos esse peso da nossa gestão. Isso traz alívio. Teremos um clima de estabilidade e não instabilidade como acontecia até agora. Nossos esforços estão todos voltados à população e não na defesa por conta de uma ação politiqueira”, adiantou o prefeito Francisco Júnior.

Ele classificou a acusação de abuso de poder econômico  como uma tentativa da oposição de vencer a eleição no tapetão.  “A partir do momento que tentaram cassar o meu diploma por conta de apontamos de uma prestação de contas tivemos a certeza de que havia tentativa de ganhar a eleição no tapetão. Inclusive em desrespeito a democracia. Passando por cima da decisão maioria da população que nos elegeu prefeito”, observou.

O prefeito disse ter recebido a decisão do TSE com alegria e sentimento de justiça cumprida. Afirmou ter certeza de que iria reverter sua cassação já que ela foi motivada por conta de erro contábil na sua campanha. E garantiu que o problema não foi motivado por abuso de poder econômico como seus adversários teriam tentando demonstrar.

“Fizemos uma campanha simples. Desacreditada pelos nossos rivais mais isso não nos abateu. Nos deu força para lutar e vencer a eleição.  Fizemos uma campanha tão simples que não tivemos quem pudesse fazer uma prestação de contas para nós. Tivemos um erro contábil na nossa campanha e isso nos rendeu a acusação de abuso de poder econômico. Nós não cometemos crime eleitoral. A cassação foi motivada pela má prestação de contas, no valor de R$ 5 mil. Tirar um prefeito do cargo por abuso de poder em razão de um apontamento de R$ 5 mil é inaceitável”, disse Francisco Júnior durante coletiva de imprensa em que falou sobre a cassação e lamentou a decisão judicial que determinou a cassação do seu mandato e do vice.

Francisco Júnior disse ter gastado na campanha pouco mais de R$ 50 mil. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.